Konjiki no Word Master

Konjiki no Word Master 19: Encontro – Um monstro Único


Traduzido do yoraikun.

Como vocês querem chamar os beastman? Homem fera, beastman ou outro nome?


 

 

Naquela hora, assim como os outros dois suspeitaram, Hiiro estava no topo de uma colina próxima. Dela ele podia ver a ponte sem ser descoberto.

Na verdade ele foi forçado a pousar em cima da ponte. Indo devagar como estava, iria custar muita mana chegar ao outro lado.

 

Havia pessoas na ponte quando ele pousou. Hiiro foi forçado a cobrir seu corpo inteiro com seu manto vermelho para esconder sua identidade, e correr até um esconderijo. Entretanto, as pessoas na ponte pensaram que ele era um demônio voador caçando comida, então nem ligaram.

(Essa ponte é longa demais. Quão longe ela é…)

 

Diferente de jogos, se você fica muito cansado, seu HP cai. Então enquanto você percorre longas distâncias,ele vai cair um pouco. Entretanto ele recupera rapidamente se você descansar.

 

O continente dos homens fera era coberto de verde.

 

A diferença principal entre este e o dos humanos era a quantidade de vida selvagem. Claro que o continente dos humanos tinha um pouco de vegetação e montanhas também.

Entretanto, aqui o solo e as florestas; os lagos e rios; e os arredores possuíam muito mais energia.

 

(Então cada continente tem seus méritos)

 

A maior atração do continente dos humanos era o eco-sistema feito pelos tais.

Manufaturação e troca; importação e exportação. Era uma terra de negócios.

 

(Imagino o que o continente dos Evila tem… Eu acho que vou ter de checar com meus próprios olhos mais cedo ou mais tarde.)

Enquanto pensava isso, uma carruagem parou na frente de mim.[1]Não, não fui eu que errei na tradução. O autor troca muito entre 1ª e 3ª pessoa.Era um homem que parecia ser um ambulante. Claro, ele era um homem fera.

(Isso é ruim… Eu não posso ser encontrado aqui.)

 

Arnold disse que diferente do continente humano, essa era uma terra onde você poderia ser assaltado do nada. Um país que vive guerra. Havia a possibilidade de ser atacado só por ser humano.

Se isso acontecer eu não planejo perder, mas não posso causar uma comoção aqui. Eu não quero me separar do Arnold já que eu posso conseguir extrair mais informação dele.

(Eu acabei de pensar em algo)

Eu escrevi em meu corpo, enquanto pensava em algo que uma certa pessoa tinha.

 

Ambulante:”O que você faz aqui? Precisa de carona?”

Em resposta as questões do homem, Hiiro tirou seu capuz.

 

Ambulante:”Oh, que belas orelhas você tem!”

 

O homem sorri felizmente.

 

Hiiro:”Me desculpe. Meus companheiros logo chegarão aqui. Obrigado pela preocupação, mas não ligue para mim.”

Ambulante:”Oh? Entendi. Boa viagem.”

 

E o homem retornou para sua carruagem.

 

(De alguma forma eu consegui passar por isso. Mas esse homem fera era bastante amigável)

 

Eu toquei as orelhas que nasceram em minha cabeça. Elas eram macias. Mas as orelhas não eram as únicas coisas que mudaram. O cabelo de Hiiro tinha uma cor prateada. Era da mesma cor que os de Muir.

 

Usando a <<Magia das Palavras>> e imaginando a raça de Muir, Hiiro escreveu [Cópia] em seu corpo. Entretanto se ele estivesse pensando em Muir muitas coisas teriam mudado em seu corpo e seria difícil de balancear, então ele tentou imaginar outra coisa. Entretanto ele só havia encontrado dois Beastman em sua vida.

 

A psique de Hiiro não conseguiria lidar em tornar-se um velhote como Arnold, então ele continuou pensando na raça de Muir.

 

E aqui marca-se o nascimento de um garoto de óculos, de cabelos prateados. A palavra somente trocou a qualidade básica do alvo, então não expirava. Hiiro teria que usar [Retornar] para voltar a  como era antes.

 

(É estranho ter calda. Meu corpo estranhamente parece leve, e meus caninos ficaram mais fortes.)

 

Depois de esperar um pouco, os outros dois finalmente chegaram aqui. Eles conseguiram me localizar pelo manto vermelho. Mas então…

 

“E esse cabelo?!”

 

Eu já esperava por isso. Até Muir deixou um som escapar.

 

Hiiro:”Agora vamos embora.”

Arnold:”Hey, espere, espere , espere! Porque diabos você está agindo como se tudo estivesse normal?! Tem muitas coisas que eu gostaria de obter uma resposta.”

Hiiro:”Como sempre, você é muito barulhento. Fique quieto um pouco, como a tampinha.”

Arnold:”Muir está tão chocada que não pode falar! Se explique! Porque seu cabelo tem a mesma cor que a de minha querida Muir?”

 

Então ele começou a explicar contra sua própria vontade. Muir o encarava com excitação. Ela tocou em seu próprio cabelo e olhava as orelhas dele.

 

Arnold:”Pra você conseguir fazer algo assim… o quão mentirosa é sua magia?”

Hiiro:”Koku Koku”

 

Eu já estou cheio de lidar com esses dois. Eu deixei um bocejo escapar. Eu sai cedo hoje então poucas pessoas me veriam, eu quero dormir.

 

Hiiro:”Bem, não é como se eu fosse igual o original. Somente minha forma mudou.”

Arnold:”Hm? Então suas habilidades continuam como as de umhumano?”

Hiiro:”Por ai.”

Arnold:”Entendi, mas ainda sim, sua magia é incrível.”

Hiiro:”De qualquer forma, para onde vamos?”

 

Assim que Hiiro pergunta, Arnold aponta o dedo.

 

Arnold:”Se formos ao oeste daqui, devemos encontrar o vilarejo de [[Doggam]].

Hiiro:”Que tipo de lugar é esse?”

Arnold:”É a cidade dos [Bearnt].[2] Escreve-se  como povo dos ursos, lê se como Bearnt. Se você não sabe Bear=Urso

 

([Bearnt]. Eu li sobre eles na enciclopédia. Aparentemente eles são uma raça pacífica, diferente de ursos.)

 

Na capital humana, eu tentei adquirir conhecimento lendo os livros guardados na guilda.

 

Arnold:”Bem, os Bearnt são caras gentis, então eu não acho que você seria atacado mesmo se fosse descoberto.”

Arnold:”O mel que eles produzem também é uma delícia.”

Hiiro:”Oh? Eu quero comer.”

Muir:”Anham.”

Hiiro:”Que? A tampinha nunca esteve aqui?”

 

A reação de Muir foi similar a minha, então eu conclui que ela nunca esteve neste vilarejo.

 

Arnold:”S-Sim. A verdade é que…”

Hiiro:”Ah, se você não quiser dizer, não precisa”

Muir:”Eh?”

Hiiro:”Eu não tenho interesse em seus passados, então não há nenhuma razão para vocês me contarem algo.”

Arnold:”…Não é isso, mas…”

 

Arnold olhou para a triste Muir, e tentou dizer algo para melhorar a atmosfera.

 

Arnold:”Enquanto Hiiro estiver ok com isto, eu acho que podemos deixar como está, Muir!”

Muir:”Tio.”

Hiiro:”Vamos embora logo.”

 

Hiiro começou a caminhar. Arnold começa a acariciar Muir, e sussurra em seu ouvido:

 

Arnold:”Eu sei que você está ansiosa, mas com o Hiiro sendo Hiiro, se você contar a ele, ele provavelmente vai responder algo como, E dai?”

Muir:”S-Sim… isso é verdade.”

 

Ouvindo as palavras de Arnold, parece que um peso foi retirado do peito de Muir.

 

Arnold:”Espero que você consiga contar a ele um dia.”

Muir:”Anham.”

Arnold:”Agora vamos, se não nós vamos perder ele de vista!”

Muir:”Sim!”

 

Enquanto ele via Muir correr atrás de Hiiro, ele pensou algo, ‘Que fofo’. Se Hiiro vesse a face de Arnold, ele iria o levar a corte na hora.

 

Depois de caminhar um pouco, eles cruzaram com os primeiros macacos que eles viram em um tempo.

 

Hiiro:”Eu acho que é… um BukBuk?”

 

Bukbuk são monstros que existem nos livros. Seu tamanho é grande. Mas o poder desses monstros vem…

 

Snap Snap!

 

Arnold:”Uoh! Esse foi um grande raio.”

 

Arnold gritou enquanto desviava.

 

BukBuks tem a habilidade de usar mágica. Ainda por cima, diferentes espécies de monstros poderiam aprender várias magias. Entretanto era difícil dizer a diferença entre suas subespécies.

 

Hiiro:”Já faz um tempo que eu não vejo um monstro que valha a pena lutar. Velhote, eu vou deixar esse aí para você.”

Arnold:”Perfeito! Veja minha incrível habilidade com espadas! Muir, se afaste.”

Muir:”Tudo bem!”

 

Nos pegamos eles um após o outro.

 

(O do velhote usa trovão. O meu usa…)

 

Bang!

 

De repente uma larga mão emerge do chão, tentando pegar Hiiro.

Hiiro:”Então sua especialidade é terra!”

 

Hiiro sacou a Perfuradora e cortou a mão de terra em duas. Mas a magia do BukBuk causou pequenas fissuras no chão. As fissuras avançaram na direção de Hiiro, impedindo seu movimento.

 

Hiiro:”Não pense pouco de mim…”

 

Hiiro concentrou sua mágica e escreveu [Calma] e atirou ao chão.

O chão se acalmou, e a fissura parou. O BukBuk parecia confuso, e hesitou em conjurar a outra magia.

 

Hiiro:”Pereça!”

 

Em um curto espaço de tempo, Hiiro rapidamente cobriu a diferença entre eles. Rapidamente uma parede se ergue em sua frente.

 

Hiiro:”Isso não é o suficiente para me parar!”

 

Sem parar, Hiiro enfiou sua espada na parede. A lâmina passou muito facilmente. O BukBuk atrás da parede foi atingido. E deixou um som de papeis caindo no chão, então parou de se mover.

 

Parece que Arnold havia terminado sua parte. Depois  de desviar de trovões a curta distância só levou um golpe de sua enorme espada para acabar com a existência do macaco.

 

Arnold:”Você viu isso? Esse é meu poder! Muahahaha!”

 

Ele parece estar em estase. Podia ser um monstro problemático, mas definitivamente estava em um nível no qual Arnold podia lidar. Era realmente incrível derrotar um desses?

 

Depois da batalha, nós encontramos monstros enquanto seguíamos a estrada. Depois de superar vários campos de batalha, acabamos em uma floresta.

 

Arnold:”Se atravessarmos a floresta, nós chegamos a [Doggam]!”

Hiiro:”Não é estranho?”

Arnold:”O quê?”
Hiiro:”Haviam monstros antes, mas depois que entramos na floresta, nós não vimos nenhum.”

Arnold:”Eles não estão só com medo de nós?”

Hiiro:”Você é mesmo um cara relaxado velhote.”

Muir:”Desculpe, sempre que o titio se encontra cheio de si, ele fica assim.”

Hiiro:”Eu já perdi minhas esperanças, então não se preocupe.”

Muir:”S-Sim… *suspiro*”

 

Muir parecia um pouco envergonhada ao encarar Arnold. Parecia uma criança observando seus pais no dia dos pais.

 

Hiiro repentinamente ficou preocupado e chamou Arnold. Ele está com uma expressão nervosa.

 

Hiiro:”Oy, o que foi?”

 

Hiiro perguntou isso enquanto ele olhava para frente, onde estava um único javali. Hiiro pensou que era apenas outro monstro, mas estranhamente, ele não estava em um livro de Hiiro. O javali ainda não percebeu eles ali e continuava a comer grama.

 

Ele tinha lido sobre um monstro similar, então ele perguntou.

 

Hiiro:”Esse é um grande javali?”
Arnold:”Não, é…”

 

Arnold estava agindo estranho. Ele parecia estar com medo. O grande javali que Hiiro conhecia tinha um pelo marrom, mas esse em sua frente era vermelho.

 

Arnold:”Hiiro, nós vamos correr.”

Hiiro:”Que, o que você está dizendo?”

Arnold:”Não se preocupe, só se mova sem fazer barulho.”

Hiiro:”O que você está sugerindo fazermos pervertido?”

Arnold:”Eu já te disse que eu não sou um pervertido! Ah…”

 

Arnold deixou  sua voz escapar, e ficou pálido. Hiiro olhou para trás e o javali os encontrou.

 

Arnold:”Droga, é tudo sua culpa Hiiro!”
Hiiro:”E dai? É um monstro tão especial assim?”

Arnold:”É um monstro único!”

Hiiro:”Único?”

 

Acredito que o livro disse algo sobre monstros únicos. Eles extremamente raros. E esse era excessivamente feroz. A expressão franca de Arnold confirmava isso.

 

Arnold:”Esse é um Javali Vermelho. Um Rank S!”

“Hmmm.”

 

O Único luta com o Único.

 

 

Se você encontrou um erro de ortografia, ou quer oferecer uma sugestão, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.

Notas do Tradutor   [ + ]

1. Não, não fui eu que errei na tradução. O autor troca muito entre 1ª e 3ª pessoa.
2. Escreve-se  como povo dos ursos, lê se como Bearnt. Se você não sabe Bear=Urso

View Comments

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: