Konjiki no Word Master

Konjiki no Word Master 25: Doces de Mel saborosos


Feito por Tenshiroe. Editado por Yoraikun.


 

Hiiro voltou ao vilarejo, e pediu que fizessem o <<Doce de Mel>> com o xarope que possuía.

 

Arnold e Muir foram a algum lugar, então Hiiro estava sozinho e planejou ter um dia legal e relaxante. Ele foi ao jardim de flores perto do vilarejo e começou a ler um livro.

 

Falando nisso, ele emprestou o livro da casa de Max. Claro, com a permissão do dono.

 

<<As aventuras de Tyn Cal Weikl>>

 

Isso que estava escrito na capa. De alguma forma, ele podia ler a linguagem deste mundo, como se ele traduzisse automaticamente ao entrar em sua mente. De acordo com a guilda, a língua deste mundo é chamada <<Ranalyth>>, e era bem diferente do japonês.

Mas Hiiro poderia ler as palavras como se fossem  japonesas. Era como se fosse uma habilidade que ele adquiriu ao transferir de mundos. Sua mente conseguia instantaneamente traduzir as palavras que ele lia. Entretanto, por causa disso, para escrever a linguagem, ele precisaria treinar.

Para falar a verdade, os quatro heróis tinham praticado escrita na linguagem deste mundo. Mas Hiiro ainda tinha que aprender. Ele já podia escrever no nível d uma pessoa comum deste mundo.

 

Ele sempre teve uma boa memoria, especialmente em relação as coisas que ele era interessado.

E livros eram sua paixão. Apesar que não perfeitamente, Hiiro conseguia se lembrar de quase tudo que ele queria, então ele memorizou as letras deste mundo rapidamente.

 

Hiiro:”Então.. esta é uma estória de herói, certo?”

 

De qualquer forma, olhando a capa do livro, havia uma imagem de um jovem garoto com uma espada.

 

(Então neste mundo escrevem livros assim também. Vamos ver, o autor é… Marquis Blue Note)

 

Era um nome que ele nunca ouviu.

 

Hiiro virou a página e continuou lendo. Ele descobriu que a estória tinha um roteiro honestamente comum. Cada país clama sua autoridade, e insiste que são os melhores do mundo. Inicialmente, isso inicia uma confusão, e então escala para a guerra.

Os países lutam uns contra os outros, e as pessoas começam a sentir as consequências. O mundo torna-se um lugar de sofrimento. Enquanto isso, um jovem garoto que não estava contente com a situação do mundo, e  seus amigos que  tinham o mesmo pensamento vão parar a guerra.

 

(Esse é um bom senso de justiça, entretanto o mundo é resistente o suficiente para sobreviver essa guerrinha)

 

Quanto a pessoa que é chamada de herói, ele é condecorado, mas é assassinado depois.

 

(O que? Eles mataram o personagem principal?)

Além disso, ele foi morto pelo rei do país que o chamou de herói. No final o herói foi executado pelo crime de matar a filha do rei. Claro, que o herói era completamente inocente. Entretanto, como os países foram resgatados da guerra, o rei invejava a fama do herói que virou o simbolo de paz e assassinou ele.

 

Então, uma confusão começou baseada em quem matou o herói, e disso, uma nova guerra começou, voltando para o estado de antes.

 

(O herói trabalhou duro, e morreu miseravelmente. Ele nem mesmo foi recompensado)

 

Mas a aventura não acabou ainda.

 

(O que você quer dizer com não acabou!)

 

Ainda haviam coisas que ele precisava fazer. Então, ele ainda tinha esta missão quando ele morreu. Então reviveu e voltou ao mundo.

O herói procurou, por um método de trazer paz ao mundo novamente. Em sua jornada ele descobriu uma magia. Era absoluta e podia controlar o mundo como o usuário desejasse.

Entretanto, seu corpo foi perdido durante o processo, e ele tornou-se somente uma existência,  não podia usar a magia. Mas, ele decidiu esperar. Algum dia, uma pessoa vai encontrar o herói, e nesta hora, o herói vai reviver novamente, e trazer paz ao mundo. Infelizmente, antes, o país todo vai ser destruído.

 

(Oy, esse herói desistiu fácil)

 

Eu ou eliminar todos os países com pensamentos ruins. Então o mundo vai ser pacífico. Um mundo onde eu posso me aventurar.

Então o herói continuou a esperar. Esperando, esperando.

Acreditando que uma luz no fim do túnel iria surgir, ele continuou esperando.

O nome do homem era Tyn Cal Weikl. Um homem referenciado como um herói.

 

(Esse homem definitivamente ficou louco. Mas as pessoas que fizeram isso com ele eram o país e o mundo)

 

Hiiro fechou o livro.

 

Hiiro:”Que final para um herói. Eu definitivamente não quero me tornar um.”

 

O livro não tinha uma estória com final feliz. Apesar que na vida real qualquer coisa pode acontecer, uma estória é uma estória. Ficção é fabricada.

 

Mesmo o herói que faz a paz possui vários inimigos. Se você tem guerra, algumas pessoas se beneficiam dela. Ainda por cima, há algumas pessoas que desejam lutar. E no meio de tudo isso, um jovem herói tentou empurrar seus ideais egoístas de justiça a todo mundo.

 

Hiiro:”Liberdade é a melhor coisa. Não se force a trabalhar. Só siga o fluxo.”

 

Enquanto murmurava isso, Hiiro fechou seus olhos.

 

 

 

 

 

“Aqui está a <<Calda Frita>>, <<Torta de Mel>>, e a <<Trindade>>, e também a <<Seiva de Mel>>!”

 

Max arranjou os doces , colocou-os sob a mesa e estava apontando para diferentes tipos enquanto ensinava Hiiro a fazer eles. Haviam alguns que ele nunca viu antes. Muir estava extasiada olhando todos eles.

O esperado de uma pequena garota. Arnold engole seco enquanto encara os doces, com olhos brilhando como jóias.

 

Hiiro:”Amu[1]あむ – Som de ponhar comida na boca

Arnold:”Porque você já está comendo?”

 

A <<Calda Frita>> era algo como mel frito no óleo. Tinha uma nova textura, criando um novo efeito.

A <<Torta de Mel>>era uma torta coberta de mel. Era a favorita de Muir.

A <<Trindade>> era algo como uma pizza, com 3 diferentes tipos de mel, o <<Mel Azul>>,o<<Mel vermelho>>, e o <<Mel Branco>>, com várias frutas em cima. Parecia que esse era o favorito de Arnold.

A <<Seiva de Mel>> era um bolo de arroz branco, com mel dentro. Quando você mordia, era revelado o verdadeiro sabor. Era uma combinação de bolo com o sabor de mel misturado. Era o preferido de Hiiro.

 

Quando os três estavam cheios, Max perguntou aonde eles iriam agora.

 

Hiiro:”Bem, nosso propósito aqui acabou. Nós conseguimos o mel.”

 

Hiiro abriu sua bolsa, mostrando o pote de mel dentro.

 

Max:”Então vocês vão ir embora logo?”

Hiiro:”Sim.”

Max:”Oh, onde vocês irão?”

Hiiro:”A cidade de Passion”

Max:” A capital huh, bem… é bem longe.”

 

Realmente a capital era bem longe. Levaria uma semana para ir a pé.

 

Arnold:”Bem, não estamos com pressa.”

Max:”Sério? Então hoje vamos festejar até cairmos!”

“Sim!”

 

Arnold e Max estavam muito contentes, Muir encarou eles não sabendo o que deveria fazer.

 

(Cidade de Passion, huh. Eu gostaria de ver-la.)

Hiiro olhou ao céu através da janela.

 

 

 

 

 

Capital das Feras Passion. Aqui onde o rei dos “Gabranth” vive. Era feita ao redor de uma grande árvore cercada por uma vasta floresta. Ou melhor, você podia dizer que era a floresta.

Todas as casas e construções eram feitas nas árvores. Era realmente um reino em harmonia com a natureza.

Enquanto isso, um jovem homem estava em um grande galho olhando a arvore. Então ele ouviu uma voz que vinha de baixo.

 

“Hey, não suba muito!”

“Desça rápido!”

 

Dois homens de armadura gritaram ao jovem.

 

“Droga, eles me encontraram, cara.”

 

Relutantemente,  o jovem pulou do galho no qual se encontrava, surpreendendo os homens.

 

“Ele pulou!”

“E-Ele está bem?”

 

Eles estavam preocupados por nada. O jovem pousou em um galho, ou não.
Crack!

 

O galho caiu e o jovem caiu no matagal. Os dois homens correram em direção a ele.

“Hey, você está bem?!”

 

Enquanto esfregava sua cabeça, o jovem sorriu.

 

“Me desculpa cara, mas estou bem.”

“Bom, isso é bom. Não suba mais tão alto assim, ouviu?”

 

“Desculpa, eu só queria ver a árvore que é apreciada pelo país.”

 

Ele olhava a grande árvore de baixo.

 

“O primeiro rei Jigwald viu esta arvore, e fez dela o centro do país. Algumas vezes ela é chamada de <<Arvore dos Começos>.”

“Anham, essa é a primeira vez que eu visitei a <<Arvore dos Começos, Aragorn>>, cara.”

“Agora que estou pensando sobre isso, você tem uma face incomum. De onde você é?”

“Ao leste daqui, cara.”
“Leste… então… Kalent?”
“Mais leste, cara.”

“O que há alem dali? Ah, você é de um novo vilarejo ou algo assim?”

“Bem, algo assim.”

 

O jovem mostrou seus dois caninos e riu.

 

“Mas garoto, como você subiu até lá em cima?”

 

O homem encarou a árvore enquanto dizia.

 

“Como? Eu pulei, cara.”

“Pulou… Bem , olhando suas orelhas você é um Were Rabbit [2]Pense num homem coelho. Eu acho que estou satisfeito com a explicação.”

 

No topo do cabelo do jovem, havia folhas verdes.

 

“Oy, é hora da troca de turnos.”

“Já é hora? Garoto não faça nada perigoso.”

“Obrigado pelo aviso, cara.”

 

Dizendo isso, os guardas se foram. O jovem encara a árvore gigante novamente.

 

“É muito legal. Essa cidade que cresce ao redor dela.”

 

Ele colocou um manto marrom, e começou a caminhar. Assim que ele deixou, ele encarou outra árvore. A <<Arvore do Rei>>.

 

“Acho que é hora de trabalhar, cara.”

 

E com o som do vento, o jovem desaparece.

 

 

 

 

 

 

Se você encontrou um erro de ortografia, ou quer oferecer uma sugestão, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.

Notas do Tradutor   [ + ]

1. あむ – Som de ponhar comida na boca
2. Pense num homem coelho

View Comments

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: