Konjiki no Word Master

Konjiki No Word Master 47 – O Outro Objetivo de Arnold


Aulas da auto escola a noite, joguei hj o dia todo um tal de tera q baixei, “trabalho”, e etc preencheram minha semana.


 

 

Hiiro, que havia decidido deixar a [Capital das Bestas:Passion] em uma semana, estava fazendo um tour na cidade sendo guiado por Arnold. Obviamente, Muir estava junto a eles. Incidentalmente Rarashik estava em seclusão no seu laboratório, enquanto usava seu mel para fazer saquê.

 

Arnold:”Parece que o povo não sabe ainda.”

 

Observando o estado das pessoas nas ruas, Arnold abriu sua boca. A suspensão da guerra. Poderia ser melhor dizer que a guerra acabou. Mas parecia que o povo ainda não estava ciente do que ocorreu.

 

Claro, se eles soubessem disso, iria tornar-se um problema sério. Mas, nenhuma comoção estava ocorrendo no país.

Depois do que ocorreu, O espírito de Rarashik, Yuki, foi investigar os detalhes da guerra. Depois de atualizar-se, ela contou a Arnold as circunstâncias.

 

Arnold:”E pensar que eles realmente demoliram a ponte. O que diabos o Lord demônio está pensando?”

Muir:”M-mas dessa forma, ninguém se machucou, certo?”

Arnold:”Nn~, certamente é como Muir disse. Entretanto para os Gabranth, é como se a honra deles fosse desprezada. Aposto que eles estão irritados. Bem, eu sou um Gabranth também mas…”

Hiiro:”Eu ainda não entendi, mas se ninguém morreu, então eu considero uma coisa boa…”

Arnold:”Bem, não faz mal pensar assim. Mas o maior problema é por qual propósito os Evila fizeram tal ação. Se fosse os Humas que tivessem quebrado a ponte eu entenderia. Se eles fizessem, os Evilas não cruzariam para o continente dos Humas tão facilmente. Entretanto, quem os Evilas estavam enfrentando eram os Gabranth. Os Humas não tem nada haver com isso.”

 

Sem conseguir compreender o motivo do Lord demônio, Muir também inclinou sua cabeça para o lado.[1]Tipo o que os cães fazemEntão, como se ela estivesse pensado em algo, Muir perguntou algo a Arnold.

 

Muir:Nee, Oji-san. Falando nisso, porque os Humas não destroem a ponte deles ?”

Arnold:”Nn? O que você está querendo dizer?”

Muir:”Hora, você não disse a nós agora a pouco? Mesmo eles prevendo o avanço dos Evila, porque eles não destruíram a ponte ainda?”

 

Era exatamente como Muir indicou. Entre os dois continentes encontrava-se uma grande ponte que os conectava.

Chamada de [Ponte Schlecken], tanto seu tamanho e durabilidade não pode ser comparados a [Ponte Geduk]. Era uma estrutura que até os humas poderiam destruir se eles quisessem.

 

Arnold:”Não é que eles não querem destruir, eles não podem.”

Muir:”…como assim?”

 

Muir inclinou sua cabeça para o lado com um *koku*[2]Aquele som q mostra nos animes quando um personagem está confuso.

 

Arnold:”A ponte sempre teve uma guarda dos Evila lá.

Muir:”Ah, então é isso?”

Arnold:”Também, parece que a pessoa que protege a ponte é um cara problemático.”

Muir:”Problemático?”

Arnold:”Aa,eu acho que o nome dele era…. Iraora?”

Muir:”Essa pessoa é forte?”

Arnold:”Aa, ridiculamente forte, ou é o que dizem. Uma vez, Judom-san afirmou isto.”

 

Enquanto ouvia a conversa como se não fosse da sua conta, Hiiro arregalou os olhos enquanto continuava a andar. Se Judom Lankars disse, quem era ele para duvidar.

Para começar, se lhe foi confiado proteger uma ponte tão importante, então não há dúvidas que ele deve possuir habilidades excepcionais.

 

Arnold:”Além disso, parece que ele era um membro da [Brigada Cruel].”

 

Os guarda costas pessoais do Lord demônio, a [Brigada Cruel], eram um esquadrão que consistia somente de 6 pessoas. Não precisava dizer que esses 6 são muito fortes. Mesmo se você coletar centenas de aventureiros, eles não seriam desafiados nem por veteranos.

 

Muir:”Entendi, se uma pessoa dessas está defendendo a ponte, será muito difícil destruir-la.”

Arnold:”Bem, mesmo se a ponte fosse destruída, os Evila poderiam cruzar o mar, então eu duvido que faria alguma diferença…”

 

Em um mar que contia monstros horrendos e vários redemoinhos, tentar cruzar-lo seria sem duvida perigoso. Mesmo assim, Arnold assumiu que os Evilas cruzariam de qualquer forma…

 

Hiiro:”Mudando de tópico, onde você planeja ir ?”

Arnold:”Ah? Obviamente eu estou indo para a guilda. Nós conseguimos algo em nossas mãos que vale algum dinheiro, certo? Você sabe, como aquilo que conseguimos daquela cobra maldita.”

 

Ao ouvir as palavras de Arnold, Hiiro pausou ao se lembrar de algo que aconteceu.

 

Arnold:”Nn? O que foi Hiiro?”

Hiiro:”…”

Arnold:”Oi, porque você está desviando meu olhar?”

Hiiro:”…”

Arnold:”…você, conseguiu algo, certo?”

Hiiro:”…”

Arnold:”Yoshi, Yoshi, Yoshi. Vamos nos acalmar um pouco. Naquela hora, graças a graciosa e angelical Muir, nós conseguimos matar a Víbora de Barro, certo?”

Hiiro:”…”

 

Ao ser chamada de angelical, Muir ficou envergonhada. Entretanto Hiiro continuava em silencio enquanto desviava seu olhar.

 

Arnold:”Depois disso, Muir e eu saímos da caverna, deixando você com a tarefa de colher algo, certo?”

Hiiro:”…”

Arnold:”Você levou um bom tempo na caverna… o que exatamente você estava fazendo esse tempo todo?”

 

Hiiro estava sendo encarado com um olhar cheio de suspeita. Assim que a pessoa que estava o encarando se aproximou, Hiiro relutantemente usou um gesto de tesouras para cutucar ambos os olhos de Arnold.

 

Arnold:”Angyaaaaaaaaaaaaaa!”[3]Agonia minha gente

 

Arnold começou a rolar no chão enquanto cobria seus olhos. O comportamento estranho de Arnold chamou a atenção de todos no local.

 

Hiiro:”Yoshi, vamos embora chibi.”

Arnold:”Espere um pouco!”

 

Vendo que Arnold se recuperou rapidamente, Hiiro estava impressionado.

 

Arnold:”Desgraçado! Que tal você nos dar uma explicação?”

 

Como se ele fosse da Yakuza, Arnold encarou Hiiro com olhos penetrantes. Hiiro considerou cutucar os olhos de Arnold novamente. Entretanto, Arnold estava bem longe de Hiiro. Ele não tinha escolha senão contar o que ocorreu.

 

Arnold:”Algum cara estranho pegou todas as partes da cobra?”

Hiiro:”Aa”

Arnold:”Nome?”

Hiiro:”….Não faço ideia.”

Arnold:”Você esqueceu, não foi?”

Hiiro:”Eu somente não tinha interesse nisso.”

Arnold:”Mas tem alguém capaz de fazer isso? Em adição, Hiiro era o oponente dele. Em primeiro lugar, porque diabos eles iriam pegar o corpo da cobra?”

Hiiro:”Como diabos vou saber?”

Arnold:”Como pensei. O que você acha, Muir?”

Muir:”Etto… pode ser que eles queriam fazer um funeral para ela… ou algo assim?”

Arnold:”Oo! O esperado de Muir! Que ideia adorável!”

 

Sendo abraçada fortemente, Muir sentia que estava sendo esmagada por uma jiboia. Olhando os dois, Hiiro falou uma única palavra.

 

Hiiro:”Lolicon.”

 

Arnold rosnou como se dissesse ‘Como você vai me compensar se eu acabar conseguindo outro título?’

 

Hiiro:”Bem, para resumir, o que aconteceu comigo foi basicamente um assalto. Eu tive de desistir de coletar os loots da cobra. Além disso, nós não estamos com problemas financeiros, então você não se importa, certo?”

Arnold:”…bem, eu acho que sim. NA verdade, você deveria ter nos dito antes!! Nos diga no momento que acontecer!”

 

Arnold estava absolutamente certo.

 

Arnold:”Em todo caso, vamos para a guild entregar o loot dos outros monstros.”

 

O trio foi para a guilda.

 

 

A guilda estava sem aventureiros. Como esperado, parece que todos foram enviados a linha de frente. Vendo Hiiro e companhia, o(a) atendente ficou surpreso(a).  Depois de dizer que eles retornaram de uma jornada, o(a) atendente estava satisfeito(a).

 

Assim que eles coletaram suas recompensas, eles imediatamente deixaram a guilda.

 

Hiiro:”O que vamos fazer em seguida?”

Arnold:”Há outra razão na qual eu vim a este país.”

Hiiro:”Falando nisso, você mencionou algo assim. Que você tinha planos de visitar alguém…”

Arnold:”Eu só preciso ir a [Árvore do Rei] rapidinho.”

Hiiro:”[Árvore do Rei]? Você conhece alguém da família nobre?”

 

A Árvore do Rei referia-se a uma larga árvore que abrigava a realeza. O país usava árvores como base para viver, não haviam casas construídas de pedra como no continente dos Humas. Todas eram feitas em árvores.

Assim sendo, a Árvore do Rei possuía o mesmo significado que o Castelo do Rei. Era um lugar onde a realeza Gabranth residia.

 

Arnold:”Não, não. Eu não vou ver alguém da família real. Eu tenho  negócios com uma pessoa que trabalha lá. Se ela souber que eu vim aqui e não a cumprimentei, ela ficaria uma fera.”

 

Mesmo pensando que Arnold disse algo problemático, o final de suas palavras parecia conter nostalgia. Parecia que ele não estava querendo evitar o encontro então.

 

Na entrada da árvore, duas pessoas que pareciam soldados estavam permanecendo de guarda. Em poucas palavras, eles eram os porteiros.

 

Arnold:”Com licença.”

 

Assim que Arnold chamou eles, os porteiros apontaram suas lanças para ele, encarando-o com olhares aguçados. Os porteiros então olharam para os outros dois.

 

Guardas:”Quem são vocês?”

 

Claro, já que era a residência do rei, eles não tinham escolha a não ser estarem alertas. Entretanto, como eles estavam no meio da guerra, havia algo a considerar. Era possível que eles ainda tinham de serem informados que a guerra acabou.

 

Arnold:”Não sou ninguém suspeito.[4]Isso é tão legal de dizer quanto “Esse docê não é droga, coma!” Eu só vim aqui porque  tenho algo para perguntar a vocês.”

Guarda:”Algo  para perguntar?”

 

Como se eles estivessem avaliando Arnold, eles cuidadosamente escanearam ele da cabeça aos pés com seus olhares. Depois disso, o guarda abriu sua boca.

 

Guarda:”Estamos atualmente em um estado de emergência. Vocês devem entender que não podemos permitir nenhum tipo de encontro com as pessoas daqui, certo?”

Arnold:”Eu sei disso. Entretanto, mesmo assim, eu estava esperando falar com alguém.”

Guarda:”Com quem você deseja falar?”

Arnold:”Bem, sobre isso…”

 

Assim que ele disse isso, fortes passos podiam sendo ouvidos de muito longe. Seguindo de um…

Dokka![5]Som de pancada

 

Arnold:”Gube?!”

 

Arnold repentinamente recebeu um impacto de alguém que apareceu de forma abrupta. Ele começou a rolar no chão com velocidade impressionante. Era como se Arnold tivesse sido atropelado por um carro. Seguindo isso, o corpo de Arnold tinha colidido com uma árvore que estava em sua frente, finalmente parando seu ato.

 

Muir:”O-Ojisan?”

 

Muir gritou. Os outros dois soldados estavam paralisados, como se seu tempo tivesse parado.”

 

Um pensamento sinistro veio a mente de Hiiro. Entretanto, depois de olhar Arnold, sua linha de visão transferiu-se para a pessoa que apareceu. A pessoa estava cerrando os dentes, revelando sua frustração.

 

???:”Eu não posso acreditar nisso! Quanto tempo você iria me deixar sem noticias?! Seu idiota!”

 

Do cigarro em seus lábios, uma fumaça subia aos céus. Pelo que podiam observar, a pessoa era uma mulher que pertencia a mesma raça de Arnold. A mulher era muito bonita e não desviava o olhar de Arnold. E ainda sim, sua estrutura física era muito muscular.

Assim que a consciência de Arnold estava desaparecendo, ele segurou seu braço e ele viu a figura da mulher que estava o encarando. Arnold respondeu com uma voz trêmula.

 

Arnold:”….Ne…nee…-chan….”

 

COmo se a distancia entre ele e Arnold fosse substancial, Hiiro não pode ouvir o que ele disse. Entretanto Muir ouviu claramente, alternando seu olhar entre os dois irmãos.

 

Muir:”EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEHHHH?!!”

 

… Assim foi como Muir expressou seu choque. Os dois soldados também mostraram tal expressão.

 

 

Se você encontrou um erro de ortografia, ou quer oferecer uma sugestão, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.

Notas do Tradutor   [ + ]

1. Tipo o que os cães fazem
2. Aquele som q mostra nos animes quando um personagem está confuso
3. Agonia minha gente
4. Isso é tão legal de dizer quanto “Esse docê não é droga, coma!”
5. Som de pancada

View Comments

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: