Konjiki no Word Master

Konjiki no Word Master 79: Para a Jornada!


2/4


 

No dia seguinte, Lilin agia como se fosse uma garota extremamente energética. Ela apontou para o outro lado do lago enquanto dava de costas para a mansão.

Lilin:”Então, vamos logo!”

Como ela indicou, a chuva parecia ter parado no meio da noite. No monento, a figura da <<Nuvem do Imperador Proibida>> que pairava nos céus não podia mais ser vista. Se alguém fosse comparar este dia com o anterior, o atual era um céu sem nuvens, como-se a tempestade anterior fosse uma mentira.

Não somente o tempo estava ótimo depois de um longo tempo, mas eles também estavam embarcando em uma viagem. Em frente a isto, o humor de Lilin tornou-se estático. Apesar dessa não ser a primeira vez que ela saia para uma jornada, ela não tinha uma razão para viajar até agora. Em outras palavras, não havia nada que a motivasse significantemente o suficiente para sair em uma excursão.

Entretanto, no presente momento, havia a presença de quem Lilin havia declarado como um visitante incomum, Hiiro. Hiiro, era a exata definição do desconhecido. A princípio, ela estava determinada em aprender sobre Hiiro de qualquer forma, mesmo se ela tivesse que usar força bruta. Entretanto, graças aos eventos do dia anterior, ela começou a pensar que obter todas as respostas de uma só vez seria um erro.

Ela se sentia confortável por alguma razão. E precisamente por causa disto, para continuar sentindo este conforto, ela queria observar Hiiro com os próprios olhos e ouvidos durante esta jornada.

Hiiro:”Eu até entendo você querer ir, mas o que você vai fazer com a mansão? Vem, nao importa o que você queira fazer ,eu acho que você vai ter de abandonar ela huh.”

Entretanto, a próxima sentença de Lilin fez Hiiro entrar em choque, seus olhos se arregalaram o máximo possível.

Lilin:”O que você está dizendo? Não é óbvio que vamos trazer ela junto conosco!?”
Hiiro:”…..hã?”

Enquanto Hiiro tentava entender o que ela estava dizendo, ele começou a duvidar dos ouvidos ao assumir que o que ouviu estava errado. Então, ele perguntou para confirmar.

Hiiro:”O-oi, o que você acabou de dizer? Você vai… trazer a mansão com você?”
Lilin:”Aa, é minha possessão. Eu não tenho intenção de deixar ninguém fazer algo com ela.”

Parece que seus ouvidos estavam corretos. Agora ele começou a questionar a sanidade dela. Uma mansão não era comida. Mesmo se alguém disser que eles querem trazer ela junto, essa tarefa seria impossível.

Hiiro:”Eu não sabia que você tinha tamanho egoísmo a ponto de dizer esses absurdos.”
Lilin:”Se você não sabe de nada então cale sua boca, garoto. Faça-o Silva.”
Silva:”Ao seu comando”

Sendo dito isto, Silva ficou em frente a mansão antes de se ajoelhar e colocar ambas as mãos no chão.

Hiiro:”O que você está tentando fazer?”
Lilin:”Bem, só veja. Você vai ver algo interessante.

Seguindo o que foi proposto, Hiiro começou a olhar as ações de Silva.

Silva:”Agora eu devo começar. Portão das Trevas!”

Enquanto conjurava o feitiço, algo preto começou a se espalhar pelo chão abaixo das mãos dele. Com um rápido olhar, era fácil de identificar a coisa preta como uma sombra.

A sombra começou a crescer mais e mais, e começou a cobrir toda a área abaixo da mansão. No instante seguinte, a mansão começou a tremer.

Hiiro:”Oi, oi. Sério?”

A mansão começou a afundar. Sim, a mansão começou a ser sugada pelas sombras. Em um piscar de olhos, a mansão foi enterrada nas sombras, dando lugar a um lote vago.

Lilin:”Umu. Como sempre, ele é um cara útil.”

Enquanto Lilin cruzava os braços, ela assentia contentemente.

Hiiro:(Entendi, de acordo com minha memória, Silva era um [Espírito das Trevas]. Eu acho que isto significa que o que ocorreu agora foi resultado da magia dele. Mesmo assim, dizer que eles vão levar a mansão jnto. Eu acho que eles podem guardar qualquer coisa com eles huh. Certamente é uma magia conveniente.)

Quando se usa a <<Magia das Palavras>>, imaginação é um item essencial. Como ele viu a magia de Silva com os próprios olhos, era mais fácil reproduzir o mesmo efeito com uma palavra correspondente.

Hiiro:”(Uma palavra de “Armazenamento”, huh… vou tentar isto depois.)

Enquanto isso, Silva, que havia terminado sua tarefa, começou a conversar com Shamoe que acabou de retornar.

Silva:”Infelizmente, Shamoe, o jardim irão ficar um pouco…”

Certamente, as flores e plantações no jardim que estavam crescendo precisariam de cuidados. Se deixadas a sós, elas iriam secar e tornar-se inúteis. Apesar que a habilidade de Silva era útil, parece que falta funções de refrigeração ou calor.

Shamoe:”Esta tudo bem. Eu já me despedi dessas crianças.”

Ela parecia ter se despedido das flores que ela cuidava.

Silva:”É mesmo? Neste caso, estou aliviado.”
Shamoe:”Sim!”
Lilin:”Vocês dois, se vocês já acabaram, andem logo! Silva comece as preparações para cruzar o lago!”
Silva:”Como quiser!”

Assim que Silva respondeu, ele se aproximou do lago, e sua sombra mais uma vez se expandiu no lago. Entretanto ao invés de guardar um item, algo emergiu das sombras. Era um barco. O barco que havia carregado Hiiro antes foi destruído graças a chuva vermelha.

Lilin:”Agora, vamos lá!”

Lilin, que parecia estar de bom humor, subiu a bordo do barco enquanto foi escoltada por Silva. Mesmo com Mikazuki ali, o barco era bem grande, e todos couberam ali.

Assim que Silva confirmou que todos estavam no barco, ele começou a mover o remo. Ao observar bem, o remo estava pesado. Entretanto, vendo que Silva estava normal, Hiiro concluiu que Silva com certeza era lv 80.

Os [Pheom] eram uma raça que evitavam conflito e preferiam harmonia. Como eles eram a raça com maior afinidade mágica, sua força física, ou força bruta tendiam a ser bem baixas, mesmo comparado com outras raças.

Entretanto, como ele tinha level 80, ele deve ter obtido uma quantia decente de força.

Assim eles cruzaram o lago.

Lilin:”Bem garoto. O destino é [Xaos], entretanto, você decidiu por qual rota vai?”
Hiiro:”Não, eu realmente não tenho uma rota em mente. Eu só quero explorar o mundo dos demônios. Também, não é como-se Xaos fosse o destino final. Eu só estava pensando em parar lá.”
Lilin:”Você não tem planos? Que entediante.”
Hiiro:”Pra começar, esta é uma jornada sem compromissos. Coisas como planos não existem.”

Em resposta a maneira dela de falar, Hiiro ficou um pouco irritado. Como Hiiro parecia estar ofendido com o comentário dela, ele esperava uma resposta com uma desculpa. Entretanto, ao ver que ela estava contrastando orgulho com o pânico dele, ele decidiu ficar calado.

Lilin:”Fumu… em outras palavras, você não tem pressa… tem alguns lugares que eu quero ir, podemos passar por lá?”

Hiiro não iria particularmente se opor. Como o mundo dos demônios era desconhecido apra ele, ele iria usar o conhecimento de tal mundo. Ele certamente apreciava a oferta de turismo dada a ele.

Entretanto, assim que ele ficou curioso e perguntou para onde ela queria ir, Lilin simplismente sorriu e respondeu.

Lilin:”Para o vilarejo da [Raça Imp]”
Hiiro:”…”

“Essa pirralha. Por quanto tempo ela vai me torrar a paciência?” Hiiro começou a ficar frustrado. Apesar que Hiiro estava na sua forma de [Imp], ele originalmente era humano. Sem mencionar, quem revelou Hiiro não ser um Imp era ninguém menos que Lilin.

Se Hiiro visitasse o lugar onde os verdadeiros viviam, a provabilidade que vários problemas ocorreriam era muito alta. Depois de tudo, Hiiro era tão ignorante deles que ele não sabia do ponto fraco dos Imp. Se eles resolvessem investigar Hiiro, um problema muito grande estaria formado.

Ela sabendo disto ou não. Não, ela claramente sabia disto.

Lilin:”kukuku. Estou brincando, estou brincando. Era uma pequena brincadeira de uma adorável jovem dama.”
HIiro:”Onde está a jovem dama?”

Apesar que Hiiro suprimiu o seu hábito de chamar ela de Baba, Lilin entendeu o que Hiiro tentou expressar.

Lilin:”O que você disse, garoto?”

Uma veia azul apareceu na cabeça dela.[1]Aquele negócio que aparece quando povo se zanga

Silva:”Vocês dois! Que tal eu fazer uma proposta?”
Hiiro/Lilin:”Hmm?”

Os dois começaram a encarar Silva.

Silva:”Primeiro, devemos proceder enquanto visitamos os acampamentos próximos a esta área. Depois disto, nós continuamos para o próximo vilarejo. Devemos continuar assim até chegarmos a Xaos.”

Hiiro e Lilin se encaravam, então concordaram.

Hiiro:”Ok. Vamos em frente.”
Lilin:”Kora! Não me dê ordens garoto! Sua mestre sou eu, sabia?”
Hiiro:”Pare de falar asneiras, Aka-Loli. Quem é meu mestre?”
Lilin:”Não é óbvio que sou eu?”
Hiiro:”Que tipo de coisas arrogantes você está dizendo deste seu corpo pequeno?”
Lilin:”Hey, não me chame de pequena.”
Shamoe:”Feeeee~![2]O instinto de Rishia é forte nesta aqui.
Silva:”Nofofofo!”
Mikazuki:”Kui kui kui!”

Olhando os outros dois brigando, estavam Shamoe, e Silva. Em adição a eles, Mikazuki, pensava que ela iria continuar sua jornada, com grande intusiasmo.

Hiiro, depois de ganhar novos companheiros, novamente começou sua jornada para Xaos. Entretanto, Hiiro ainda não sabia. Que uma tragédia iria logo atingir aquela cidade, Hiiro iria tornar-se o fator determinante na conclusão do evento. Hiiro ainda não sabia.

Se você encontrou um erro de ortografia, ou quer oferecer uma sugestão, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.

Notas do Tradutor   [ + ]

1. Aquele negócio que aparece quando povo se zanga
2. O instinto de Rishia é forte nesta aqui.

View Comments

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: