Konjiki no Word Master

Konjiki no Word Master 95: Decisão


Terraria teve um super update e eu tinha que jogar até descobrir tudo :v


 

 

 

 

O monstro, que foi empurrado um pouco, franziu para Camus

Guraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

Como as coisas não iam bem, uma corrente de raiva corria através do monstro enquanto ele se enfurecia. Mostrando sua raiva, ele balançava a cauda cortada da esquerda para a direita.

Camus:”Você está bem?”
Jin-u:”Chefe…. me desculpe.”

A face de Jin-u se distorcia de dor enquanto ele de desculpava pensando que havia causado problemas para alguém.

Hiiro:”Oi, o que é isso?”

Voltando a situação atual com ajuda das palavras de Hiiro, eles olharam para a direção do monstro. A visão que encontraram chocava ambos.

Guururururu!
De alguma forma, a parte cortada da cauda cresceu novamente.

Hiiro:”Oi, oi, ele consegue se regenerar? Então métodos normais não vão funcionar nele, huh.”
Silva:”Como devemos proceder, Hiiro-sama?”
Hiiro:”Vejamos, eu tenho algo em mente, mas…”

Honestamente, se tudo o que ele tinha que fazer era matar o monstro, Hiiro conseguia fazer isto sozinho. Entretanto, neste caso, ele se restringiu e tornou-se o ajudante já que Camus era a pessoa que devia matar o monstro.

Silva:”Como pensei, nós vamos dar suporte exclusivamente a Camus até o fim?”
Hiiro:”Parece que você entendeu, Jii-san.”
Silva:”Nofofofofo! Então, vamos dar o nosso melhor!”

Naquele momento, a sombra no pé de Silva tremeu e juntou-se na mão dele, tomando a forma de, algo que parecia, uma faca de carne.

Silva:”Vamos lá! Lançamento do Mordomo Caótico!”

Silva foi para os céus enquanto dezenas de facas choveram em direção ao monstro. Entretanto, a parede de areia materializou-se novamente, bloqueando as facas.

Enquanto isso, Hiiro aproximou-se de Camus e sussurrou a ele.

Hiiro:”Ouça bem – igual antes, eu vou fazer a areia perto dele ficar fofa. Apesar da areia cobrindo a cauda dele parecer ter muita força, isso não tem nada a haver com derrotar ele. Assim, seus ataques devem passar. Foque seus esforços em penetrar no núcleo.”
Camus:”…Ok.”

Enquanto ele tirava as mãos de Jin-u, ele encarou o monstro com um olhar penetrante.

Hiiro:”Quando eu der o sinal, ataque.”
Camus:”Sim.”

Silva ainda estava atacando, e quando a parede de areia repentinamente caiu, o monstro havia desaparecido.

Silva:”Mu?”

Dobaa-!

Silva:”O que está acontecendo!?”

O monstro apareceu abaixo de Silva enquanto ele ainda estava no ar. Parece que o monstro havia se enterrado na areia. O ferrão na sua cauda acertou o corpo de Silva.

Silva:”Muu!”

Como esperado, Hiiro também arregalou os olhos ao testemunhar tal cena. Certamente, o ferrão do monstro era similar a de um escorpião. Ao acertar a vítima, ele liberava uma neurotoxina paralisante que nega os movimentos da vítima. Em seguida, o escorpião come sua presa, lentamente. Um ferrão similar estava perfurando o corpo de Silva.

Claro, Camus começou a se mexer na tentativa de tentar salvar Silva. Entretanto Hiiro parou ele estendendo seu braço na frente de Camus.

Camus:”Hiiro?”
Hiiro:”Fique ai.”
Camus:”Mas… Jii-chan está…”
Hiiro:”Fique quieto e veja.”

Camus não entendeu o que Hiiro estava dizendo. Porque ele não deveria salvar um aliado ferido? Mesmo que ele duvidava da ação de Hiiro, Camus olhou para cima e observou Silva e o monstro.

Gururururu!

Silva:”Gufu…uh…uu”

Parecia que Silva estava sentindo uma dor intensa. Aparentemente o monstro teria pego ele. Entretanto, ele agarrou a cauda.

Guru?

Silva:”Nofofo, você por acaso achou que eu fui derrotado? Devo eu segurar essa coisa perigosa?”

Enquanto dizia isso, Silva levantou sua mão direita, como-se ele estivesse segurando uma taça de vinho. Em seguida, uma esfera negra apareceu na sua palma. Parecia que tinha 20cm de diâmetro. Logo, ele agarrou a cauda com a mão esquerda. Finalmente, o globo desapareceu quando ele foi absorvido pela cauda.

Silva:”Pobre bola…”

Naquele momento, um objeto extremamente fino em forma retangular apareceu onde a esfera foi absorvida.

O retângulo preto rapidamente cortou através da armadura do monstro. Era como papel sendo cortado por uma tesoura. Novamente, a cauda do monstro foi desmembrada.

Gura-!?

O objeto retangular voltou a forma de uma esfera e foi disparado como uma bala de canhão.

O corpo do monstro curvou-se para frente enquanto a esfera acertou o estômago dele. A criatura atacada tinha uma expressão pálida, enquanto caia no chão sem nenhuma proteção.

Silva, que estava perfurado pelo ferrão, deixou o local.

Hiiro:”Oi, não tem algo preso no seu estômago?”
Silva:”Oya? Que falta de consideração da minha parte.”

Silva tirou o ferrão e jogou no chão.

Hiiro:”Então você estava bem.”
Silva:”Acho que não. Ele fez um buracoem uma das minhas roupas boas…”
Hiiro:”Você basicamente não foi afetado… do que é feito seu corpo?”
Silva:”É porque eu sou um mordomo! Nofofofo!”

Depois de dizer isto, Silva entrou em depressão pelo fato que iria ser punido pela Ojou-sama graças ao uniforme rasgado. Enqunato isso, Camus e Jin-u estavam surpresos enquanto viam a encarnação da estranheza conhecida como Silva.

Camus:”Eto… você está… bem?”

Camus não pode ficar em silêncio e perguntou. Entretanto, Silva, que parecia ter sua aparência normal, sorriu.

Silva:”Nofofofo! Me desculpe por lhe fazer preocupar-se. Eu estou muito bem!”

Quando Hiiro viu como ele curvou-se educadamente, ele não percebeu nada anormal na condição física dele. Ele não estava surpreso com a situação inexplicável a sua frente porque havia visto antes, diferente dos outros dois. Assim, Camus podia entender razão a qual Hiiro não permitiu que ele ajudasse Silva.

Hiiro ignorou os olhares do par que pareciam pedir uma explicação, já que não tinha tempo para explicar em detalhes. A prioridade deles era eliminar a existência furiosa na frente deles.

Hiiro:”Jii-san, você pode destruir a parede de areia dele novamente?”
Silva:”Nofo? Claro!”

Silva foi em direção ao monstro novamente depois que disse isto.

Hiiro:”Ouça, vou dizer novamente. Nós vamos ter uma chance depois disto. Então, o mate.”
Camus:”U…un”

Ele engoliu seco depois de assentir.

Imediatamente apos Hiiro confirmar sua resposta, ele concentrou sua mágica na ponta do dedo.

[Rastrear] [索敵] [1]O primeiro kanji é procurar, e o segundo é inimigo.

Hiiro:(Assim posso encontrar ele, não importa onde estiver.)

Respondendo ao ataque de facas de Silva, o monstro levantou outra parede, tudo de acordo com o plano. Em seguida, ele desapareceu novamente mergulhando na areia. Entretanto desta vez, Hiiro pode capturar a posição do monstro. Seus olhos podiam localizar seu alvo através de Termografia. Hiiro sabia que ele estava se movendo na areia a uma velocidade incrível.

Hiiro:”Certo”

Hiiro rapidamente escreveu uma palavra e esperou o momento que o monstro tentaria sair da areia. Assim, Hiiro cerrou seu punho em antecipação. Então,

zoba-!

No mesmo momento que o monstro saiu da areia, Hiiro sumiu. ELe reapareceu perto do monstro. Ele usou [Transferir – 転移], uma conjuração de duas palavras que ele havia preparado antes da luta. Ele agora podia instantaneamente ativar as sequências de duas palavras graças as habilidades de seu nível.

Os olhos do monstro estavam arregalados aover que Hiiro repentinamente apareceu em sua frente. Então, Hiiro apontou seu indicador ao monstro. Hiiro atirou outra palavra que ele escreveu. O monstro foi pego em guarda baixa e não podia esquivar-se da magia.

Hiiro atiou o efeito que ele escreveu antes de teleportar-se próximo ao monstro. Ele usou [Macio – 柔], o mesmo que ele usou antes. Com isso, o poder defensivo da armadura de areia foi nulificado.

Hiiro:”agora isso!”

O punho de Hiiro estava equipado com outra palavra.

[Força Colossal – 剛力] [2]Força e poder

Hiiro socou a face do monstro, e no impacto um som desagradável foi ouvido, parece que era a carne e os ossos sendo quebrados. Sangue trilhava a areia por onde o monstro foi lançado aos ares.

Ele caiu no chão e uma névoa ergueu-se. Com a defesa da armadura nulificada, junto a esse ataque, o monstro recebeu muito dano.

O monstro se levantou.

Hiiro:”Aqui tem outro!”

Hiiro usou a Escrita No Ar para escrever [Duro – 固] e atirou na areia abaixo do monstro. Como com Camus, agora o monstro não pode manipular a areia.

Hiiro:”Agora!”

Hiiro gritou para Camus que estava perto esperando ordens. Ao ouvir a voz, Camus pegou as duas katanas e avançou.

Camus:”…Papai”

De onde estava, Camus correu na velocidade máxima em direção ao monstro. O núcleo pulsante no estômago do monstro refletia-se em seus olhos. A armadura de areia era praticamente nula. Além disso, o monstro não podia erguer uma parede defensiva. Se Camus demorar demais ele pode sofrer certo dano. Entretanto, se ele atacar agora, ele pode definitivamente matar o monstro. Ao menos foi isso que Hiiro pensou.

Camus:”matar… eu vou lhe matar!”

Naquele momento, a questão de quem ele iria matar surgiu na sua mente. Em seguida, a face de seu pai sorrindo surgiu diante dele.

Camus:”Papai?”

Todos pensaram que estava acabado. Graças ao plano de Hiiro, eles estavam perfeitamente preparados. Apesar de Jin-u ter sofrido um pequeno dano, ninguém foi assassinado. Acima de tudo, eles estavam livres do terror do monstro.

Vendo de longe, as pessoas da Tribo Ashura estavam confiantes em sua vitória… até agora.

Involuntariamente, todos ficaram surpresos com o espetáculo que refletia nos seus olhos.

Hiiro:”Esse idiota!”

Hiiro foi o úico que, em resposta ao espetáculo, tinha… atualmente, Hiiro não pode esconder sua frustração com o autor do espetáculo.

Porque próximo ao núcleo do monstro, haviam duas katanas ali perto. O monstro ainda estava em pé. Mas não foi o monstro que parou o ataque. Foi Camus.

Camus:”Ku”

Suas duas katanas estavam tremendo. Não, não era somente as katanas, mas o corpo todo de Camus.

Camus:”Eu não consigo.”

Também intrigado com a ação, o monstro ficou parado.

Camus:”Porque…. Papai… está aqui…”
Hiiro:”O que você está fazendo! Rápido! Mate ele logo!”
Camus:”Eu…eu…”

Assim uma lágrima saiu dos olhos de Camus.

Camus:”Eu…não posso fazer isso…papai…”

Ao ver a lágrima, o monstro recuou. Neste momento, Hiiro claramente sentiu a sede de sangue do monstro diminuir. Entretanto foi somente por um instante. A raiva do monstro surgiu, e superou os níveis passados.

Em seguida, o ferrão que havia regenerado tentou acertar Camus.

Jin-u:”Cheeeeeeeeefeeeeeeeeeeee!”

Jin-u abraçou Camus enquanto pulava para o lado. Entretanto ele não desviou completamente. O ferrão acertou sua carne.

Jin-u:”Guu!”
Camus:”Jin-u?”

Os dois caíram no chão em tal estado. Camus usou seu corpo para amortecer a queda de Jin-u.

Hiiro:”Jii-san! Me arranje um tempo!”
Silva:”Ao seu comando!”

Parece que Silva entendeu a situação. Ele criou outras facas e atirou. Entretanto o monstro desviou pulando de onde estava.

Hiiro:(Chi, e só assim, ele já se recuperou!)

Gurururu!

O monstro provocou Hiiro e os outros, abriu sua boca e-

kiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiin-”

Liberou um tom muito agudo. Com o som desgradável, Hiiro involuntariamente franziu.

Hiiro:”E-entendo. Isto é.”

Ao mesmo tempo Hiiro percebeu o significado do comportamento do monstro, em resposta ao rugido dele, algo similar estava perto. Assim, de ambos os lados do monstro, novos monstros surgiram.

Hiiro:”Como pensei, ele tem a habilidade de chamar reforços!”
Silva:”Parece que sim. Aparentemente, eles vem em grupos?”

Como Silva indicou. Mesmo distante, eles podiam ver várias sombras espalhadas.

Ao confirmar isso, haviam pessoas que estavam atacando os monstros a distância… eram pessoas da tribo Ashura. Assim os monstros não iriam conseguir chegar ao local de Hiiro.

Hiiro:(Maa, A Aka-loli disse que iria limpar os monstros próximos a vila. Então posso ignorar os outros monstros. O problema real é… esses três.)

Naturalmente, um deles era o monstro do deserto. Os outros dois eram um Golem Cinza e um Homem de Lama.

Eles eram monstros rank S. Honestamente, eles queriam resolver isto antes que o monstro solicitasse reforços. Entretanto agora que chegou a este ponto, era imperativo para eles pensar em um método alternativo para resolver a situação.

Hiiro:”Jii-san, pode destrair eles um pouco?”
Silva:”O que você está planejando fazer?”
Hiiro:”Eu vou acordar um idiota.”
Silva:”Nofofofo! Então, eu devo dar o meu melhor.”

Silva aguçou seu olhar, ele ficou na frente dos três monstros. Depois de ver isso, Hiiro rapidamente mudou a direção de seu corpo antes de mover seus pés. O local que ele estava indo era…. onde Camus estava.

Camus:”Jin-u…. Eu…. EU….. eu…”

Claramente era culpa de Camus o que ocorreu. Assim, Camus entrou em um estado de pânico.

Naquele instante, Hiiro se aproximou. Enquanto Camus pensava que Hiiro podia fazer algo, ele levantou sua cabeça.

Baki-!

Entretanto, antes dele perceber, sua face estava distorcida graças a algo em suas bochechas, a areia aquecida pela luz do dia entrou em sua boca. Camus havia entendido que ele estava no chão. E que Hiiro havia o acertado.

Enquanto ele lentamente se levantava, Camus simplismente encarou Hiiro, seus olhos estavam bem abertos. Sua expressão indicava que ele não podia compreender o porque de Hiiro ter acertado ele. Em frente a tal Camus-

Hiiro:”Como você deixou essa situação acontecer?”
Camus:”….”
Hiiro:”Você fez sua decisão, certo? Mesmo assim, o que foi esse show?”
Camus:”H-Hiro…”

Camus não pode responder.

Hiiro:”A Razão no qual esse bastardo está sofrendo é você. O fato que o monstro do deserto chamou reforços, também é sua culpa. Mais importante, a razão na qual eu estou tão frustrado é sua culpa também!”

As palavras de Hiiro, carregadas de raiva, continuaram.

Hiiro:”Esse ferrão provavelmente tem uma neurotoxina certo? Um veneno que rouba a habilidade da vítima de mover-se. Mas se acertar próximo ao coração, ele vai parar até os batimentos deste. Quem receber tal ataque vai morrer.”
Camus:”N-Não pode ser! Nós temos que fazer algo! Por minha culpa Jin-u está!-“

Baki-!

Hiiro acertou Camus novamente.

Hiiro:”Sim, você está correto. Tudo isso é sua culpa. Incidentalmente, esses da sua vila estão lutando com outros monstros e podem receber um ferimento fatal. Isso também pode se tornar sua culpa.”
Camus:”uu… E….Eu…”

Camus cerrou os dentes e lentamente chorou.

Hiiro:”O que você vai fazer então?”
Camus:”U…uu..”
Hiiro:”Você disse que queria proteger todos, aquilo era uma mentira?”
Camus:”Não era… uma mentira…”
Hiiro:”Você disse certo. Que você podia sentir o cheiro de seu pai vindo do monstro.”

Camus olhou para Hiiro.

Hiiro:”Então pode ser que um fragmento da conciência de seu pai continua naquele monstro.”

Camus:”…!?”

Camos respirou fundo e olhou para o monstro. Ele viu a figura do monstro lutando com Silva, uma fúria incrível estava em sua face. Definitivamente não era algo que seu pai faria. Ainda sim, era inegável que o cheiro de seu pai, Rigund, emanava do monstro.

Em seguida, uma cena diferente entrou nos olhos de Hiiro. Por um momento, ao ver as lágrimas de Camus, o monstro parou. Pode ser que Rigund reagiu assim ao ver o sofrimento de seu filho.

Hiiro:”Olhe bem.”

Hiiro olhou para o monstro.

Hiiro:”Se este monstro é seu pai, você vai chorar na presença dele? É tudo que você pode fazer?”
Camus:”Papai…”
Hiiro:”Não confunda o que você está mostrando com bondade.”
Camus:”….”
Hiiro:”Piedade familiar. Você está pensando na sua família. Mesmo que ele pareça assim, voce não pode matar seu pai? Se isso for seu pai, então não é mais uma razão para você acabar com ele com suas próprias mãos?”
Camus:”Minhas próprias mãos?”
Hiiro:”Não machucar sua família. Isso não é bondade. Olhe para ele agora, você sabe o que tem que fazer. Você sabe o que precisa fazer com seu pai certo?”
Camus:”Eu…Eu..”
Hiiro:”A verdadeira bondade só tem significado se você a usa como força. Pelo menos é isso que eu acredito.”
Camus:”Hiiro…”

Na verdade, isso era algo que ele leu um tempo atrás. Entretanto, também era verdade que ele pensava assim.

Quando os olhos dos dois se encontraram, Hiiro lentamente abriu sua boca.

Hiiro:”Vá salvar ele. Com suas mãos.”
Camus:”….”
Hiiro:”Quem pode libertar ele desse sofrimento é ninguém menos que seu próprio filho. Você tem certeza que não vai fazer nada? Ou você vai deixar um simples viajante, um espectador como eu matar ele? Seu pai? Eu não me importo com isso.”
Camus:”…Não.”
Hiiro:”?”
Camus:”Eu não vou deixar… você fazer isso.”
Hiiro:”Então o que você vai fazer?”

Camus colocou sua mão nos ombros do Jin-u.

Camus:”Jin-u… me desculpe. Mas… tudo vai ficar bem.”

Enquanto ele falava, Jin-u abriu seus olhos que estavam fechados até agora. Um sorriso apareceu em sua face.

Jin-u:”S-Sim… eu vou deixar… Rigund-sama em suas…mãos.”
Camus:”Un.”

Camus assentiu violentamente e levantou-se. Ele virou-se para Hiiro.

Camus:”Cuide… de Jin-u.”
Hiiro:”Acabe com isso logo.”
Camus:”Sim!”

Camus foi em direção ao monstro. Hiiro olhou para Jin-u.

Hiiro:”Ei bastardo. Isso é uma dívida. Você vai me pagar depois.”
Jin-u:”…Hã?”

Jin-u não compreendeu o que Hiiro disse, mas seu corpo foi envolvido por uma luz quente.

Jin-u:(O que é esta luz?… é tão… bom)

Era como ele estivesse tomando sol, sentindo a brisa massagear seu corpo. Era uma sensação que lembrava ficar imerso em um banho termal, a temperatura estava perfeita.

[Recuperação Completa – 完治][3] Completo, Regra ou recuperação

Assim, as feridas de Jin-u começaram a se fechar. Jin-u voltou a dormir. Hiiro sentiu a fadiga em seu corpo. Ele usou muito MP. Assim, tirando um item para recuperar MP de seu bolso, ele bebeu a poção. Tornou-se um hábito carregar algumas com ele, vai que…

Hiiro:(Agora falta só o idiota ali…)

Se você encontrou um erro de ortografia, ou quer oferecer uma sugestão, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.

Notas do Tradutor   [ + ]

1. O primeiro kanji é procurar, e o segundo é inimigo.
2. Força e poder
3. Completo, Regra ou recuperação

View Comments

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: