Law of The Devil

Law of The Devil 13: Os Misteriosos Eventos na Residência Ancestral dos Roland


Mudei o layout do blog e gostaria de feedback, estou arrumando o css ainda, mas em breve vai estar organizado.

 


 

A mansão da família Roland era localizada no sudoeste das planícies Roland. Um afluente do rio Roland passava por este local. A terra era fértil. Várias vilas de fazendeiros e até mesmo cidades se estabeleciam ali.

 

Esta era a origem da família Roland. A algumas centenas de anos atrás quando seu ancestral era apenas um pequeno nobre que possuía somente um pequeno vilarejo, sua linhagem começou a se espalhar nestas terras.

 

A carruagem cruzou uma floresta de árvores negras. O ar era fresco. Seguindo a estrada você podia ver um pequeno monte a esquerda, e uma grande torre a direita. Esta era a mansão dos Roland.

 

Após vários anos de glória, o pequeno vilarejo já não existia. A mansão também foi reconstruída diversas vezes e seu tamanho cresceu consideravelmente. Um muro de pedra vermelha rodeava o castelo. O castelo foi construído usando pedras brancas mineradas do monte. Era dito que havia uma pequena montanha a esquerda, mas após vários anos de mineração, esta montanha se tornou um monte.

 

A chegada do progenitor do chefe da família recebeu muita atenção. O exército pessoal da família, trezentos soldados, que guardavam o castelo, usavam seus equipamentos brilhosos e, esperavam próximos ao muro vermelho em formação.  A entrada em formato de arco deu a Duwei um sentimento de vigor, e ele podia ver que este muro poderia se tornar uma defesa sólida quando necessário.

 

Os trezentos soldados demonstravam qualidades de treinamento abundante. Eles cavalgavam com suas costas eretas e mostrando habilidades de cavalaria excepcionais. Seus equipamentos também eram de alta qualidade. Estes soldados eram seletos de vários exércitos privados das planícies. Eles eram bem treinados e podiam rivalizar o exército local da cidade imperial.

 

A floresta negra fora do castelo era um local de caça natural. Eventos de caça eram feitos anualmente, que também serviam de treino para os soldados.

 

O castelo consistia principalmente de duas torres. Uma maior que a outra. Maior que aquele certo monte. Duwei aprendeu através da história de sua família que houve um chefe de família estranho. Mesmo que ele fosse um general, ele era especialmente interessado nas técnicas de leitura das estrelas. [1]Que vou chamar de Astrologia. Ele até se casou com uma Astróloga. A torre maior foi construída para sua esposa para que esta pudesse observar melhor os céus.

 

Um carpete vermelho encontrava-se entre a porta do castelo e a carruagem. Quando Duwei estava prestes a descer, um homem de cabelos prateados surgiu. O senhor possuía um físico esbelto, vestia trajes formais em cor de carvão, agia de forma antiquada e séria.

 

Quando Duwei pisou no chão, o senhor se curvou profundamente e disse lentamente, “Jovem mestre, eu sou o mordomo Sier Roland. Recebi a informação sobre sua chegada a três dias atrás. Todos no castelo prepararam-se para o receber. Por favor me siga.”

 

As etiquetas do velho mordomo eram impecáveis. Enquanto Duwei caminhava sobre o carpete vermelho, ele cuidadosamente caminhava junto fora do carpete para deixar Duwei saborear a honra sozinho.

 

A primeira impressão dentro do castelo era a grande bandeira pendurada na parede. A bandeira era mais ou menos 8×6 metros. Esta cobria a parede quase toda. A bandeira possuía o emblema da família, dando um ar solene ao local.

 

Todos os servos e camareiras estavam em pé utilizando seus uniformes para receber Duwei. Apesar de Duwei não estar interessado nesta estranha “inspeção”, ele assentiu casualmente e disse para o mordomo com voz baixa, “Senhor mordomo, poderia me levar para a sala de leitura por favor? E o restante, por favor retornem aos seus afazeres.”

 

O mordomo Sier seguiu a ordem de Duwei precisamente. Logo, Duwei foi levado a sala de leitura. Bem, Duwei preferia chamar este lugar de biblioteca, pois era enorme.

 

A sala era circular , até o teto era redondo, e cravado com designs decorativos. Nos lados haviam estátuas, a maioria de ancestrais. Cercando a sala haviam grandes prateleiras, estas preenchidas com livros. Duwei calculou rapidamente que o número de livros era aproximadamente dez mil exemplares. Havia ali também vários gabinetes de metal para guardar coisas importantes, como a árvore da família ou documentos valiosos.

 

Como a família ganhou seu poder através da guerra, até mesmo a sala de leitura possuía um ar de guerreiro ali. Uma espada de duas mãos e um grande machado estavam pendurados próximo a entrada. Um lado da parede possuía várias armas expostas, a maioria delas já eram arcaicas.

 

Duwei foi atraído por estas armas. Ele podia ver que as antiguidades eram bem mantidas ali.

 

“Essas eram as armas dos ancestrais da família.” A voz do mordomo veio de trás. “Estas armas são recordações de suas glórias.”

 

Duwei tocou a mesa levemente e olhou ao redor. Ele podia ver que tudo estava cuidadosamente limpo e mantido, mas os traços da idade ainda eram óbvios. Mesmo a mesa sob sua mão provavelmente era mais velha que o mordomo.

 

“Esta sala era usada como o centro das políticas da família. Aqui era onde os chefes ruminavam e faziam suas decisões. Cada peça aqui possui um traço dessas glórias. Apesar da sala de decisões ter sido transferida para a capital, de acordo com a tradição, todo chefe de família que volta para este castelo deve passar sua primeira noite neste quarto, para que não esqueça a história gloriosa da família e sua responsabilidade.”

 

O mordomo olhava para Duwei e baixou sua cabeça, “Você é o primogênito do chefe atual. Então poderia…”

 

Duwei assentiu com sua cabeça de forma cooperativa, “Tradições são tradições e devem ser seguidas. Eu não sou exceção. Mesmo que eu não seja um chefe, eu devo seguir a tradição e dormir aqui.”

 

A expressão e voz do mordomo tornaram-se suaves, “Vou avisar os servos. Bem, eu sei que você esta aqui para inspecionar os negócios deste território. Quando você vai começar a trabalhar? Eu já tenho as finanças preparadas. Quando você vai começar a ler o relatório? Ou você quer esperar…”

 

Duwei interrompeu ele com um sorriso. Ele casualmente caminhou, sentou-se atrás da mesa e disse, “Senhor mordomo, sinto fome após a longa jornada. Por favor me prepare algo para comer e eu vou começar a olhar as coisas que você preparou.”

 

Em seguida, Duwei saboreava um tradicional chá da tarde. Justo quando ele estava terminando sua torta de abóbora, o mordomo Sier direcionava dois servos fortes ao quarto. Os servos empurravam um carrinho com uma montanha de livros.

 

“Essas são as finanças deste ano?” Duwei franziu, suspeitando que o mordomo estava brincando com ele.

 

“Pequeno mestre, sim.” O mordomo disse de forma séria. “Os dados aqui incluem o tamanho do território da família, das terras férteis, o balanço das seis cidades, as despesas militares dos três exércitos privados no território, colheitas, orçamentos de construções, e previsões que eu fiz para o próximo ano.”

 

Duwei tocou seu nariz e olhou a montanha de livros, “.. .está tudo aqui?”

 

“Esta é só uma parte, o resto…” O mordomo soou menos sério pela primeira vez, “Eu acho que você vai levar o resto da semana para o resto.”

 

Duwei franziu e silenciosamente inspecionou o mordomo.

 

Este velho mordomo não parecia estar brincando. Ele realmente pensa que uma criança de 13 anos como eu entenderia algo lendo estas finanças? Então ele deve saber que eu fui exilado para cá. Qual é seu propósito em fazer isto? Ele está insatisfeito comigo? Com medo que eu tome sua autoridade no castelo? Ou ele me enganou com os negócios da família e quer escapar me enganando? Tudo parecia uma possibilidade.

 

Duwei não disse nada. Ele pegou um livro do topo e começou a ler. Após algum tempo, ele levantou sua cabeça e viu que o mordomo ainda estava ali.

 

“Oh, senhor mordomo, você ainda tem algo para me dizer?” Duwei agiu de forma descuidada e disse com um tom de voz frio, “eu não gosto de pessoas ao meu lado quando estou lendo.”

 

“sim mestre.” Sier mostrou surpresa, ele abriu sua boca como se fosse dizer algo, mas então virou para a saída e deixou a sala junto aos servos.

 

Depois que a porta da sala de leitura foi fechada, Duwei colocou o livro na mesa, e andou pela sala. Então murmurou para si mesmo com um sorriso, “Talvez, tenha algo valioso aqui.”

 

Pelo resto do dia, o mordomo veio duas vezes. Uma para trazer mais chá, e outra para trazer velas durante o crepúsculo. Para a surpresa do mordomo, o pequeno mestre estava realmente lendo as finanças. E não era atuação, era real! Depois que o mordomo acendeu as velas, Duwei casualmente perguntou algumas coisas sobre as finanças, e estas questões eram bons pontos. Isto provou que o pequeno mestre não estava brincando.

 

Este… este é o jovem mestre retardado mencionado nas mensagens da cidade imperial?

 

Mesmo que o mordomo tentasse esconder sua expressão facial, Duwei ainda percebeu surpresa vinda dele. Depois que o mordomo deixou a sala, ele terminou a última página em sua mão.

 

Esses registros financeiros eram interessantes.

 

Duwei gastou a noite toda lendo os registros, mas ele não olhava os números, não interessava se as contas eram reais ou não. Até porque ele não é um gênio e não era possível que alguém sem conhecimento de negócios ver se algo estava errado.

 

Talvez ninguém soubesse, mas Duwei leu as contas com um método diferente.

 

Quem disse que as contas somente servem para registrar gastos financeiros? Duwei aprendeu várias coisas sobre a família que não estavam registradas na história da família.

 

Duwei viu quanto a família tinha sob seu controle olhando o conteúdo destes arquivos. A família tinha seu próprio sistema hierárquico e uma grande liberdade do reino. Eles tinham poder de decidir as taxas finais, e nominar oficiais locais. Mesmo que a taxa do reino fosse fixa, eles podiam manipular esta. Só deveriam mandar a proporção certa para o reino anualmente.

 

E quanto ao poder militar, você podia ver que o batalhão mantinha a ordem e lei nesta terra.

 

Duwei facilmente entendeu a situação da família nos quesitos economia, política e poder militar, através desses registros. Talvez se o mordomo visse que ele entendeu os registros, seus olhos iriam se arregalar em descrença.

 

Duwei confirmou dois pontos: Primeiro, através das taxas, a família tinha poder total neste lugar, segundo, também era verdade em aspectos militares.

 

Pelo que Duwei aprendeu no outro mundo, havia um senso comum: O controle do país sobre um território era refletido nas taxas e exército. E ambos eram controlados pelos Roland. O que isto significa? Que o reino perdeu controle do território. Este lugar era como um reino independente.

 

Duwei encostou no sofá e ruminou, estava surpreso com a situação. O país estava perdendo poder político, o que normalmente é o prelúdio de uma guerra.

 

Duwei sentou-se por um tempo. A sala estava em silêncio com um som ocasional vindo da vela. então ele levantou-se de forma abrupta, virou-se e encarou a parede. Nada parecia especial.

 

Ainda sim Duwei sentiu que algo acontecia ali. Duwei possui uma reserva de mana e poder espiritual maior que uma pessoa normal, então era mais sensitivo. E um momento atrás, ele sentiu que alguém estava lhe observando. Não havia nada de errado com as prateleiras. Duwei olhou mais acima das prateleiras, haviam retratos. Esses retratos estavam alinhados de forma que sua idade variava de muitas décadas atrás para o recente. Os retratos eram dos chefes da família.

 

O primeiro que parecia o mais velho. Era uma pessoa com uniforme militar. Ele era o marechal que ganhou a guerra para o reino e recebeu as planícies. Ele parecia vigoroso, e seus olhos possuam firmeza similar as do conde Raymond. parecia que seus olhos estavam encarando Duwei.

 

Duwei deu alguns passos para trás, então caminhou para a esquerda e direita depois de encarar o retrato. Então sorriu, suspirou e disse, “Talvez eu seja sensível demais… é só um retrato.”

 

ele se virou e pegou outro registro quando o retrato piscou. Sim a pessoa no retrato piscou, estes olhos que encaravam Duwei. Os olhos que originalmente eram de uma pintura ganharam vida. Eles olhavam para Duwei com curiosidade.

 

No mesmo momento Duwei se virou rapidamente e encarou o retrato. Uma pessoa e um retrato se encaravam.

 

“Pare de tentar se camuflar. Sei que você está me olhando.” Duwei levantou sua mão, ele estava segurando uma colher de prata, a que ele usou para comer a torta. A colher brilhou como um espelho!

 

“Você está me encarando, e eu estava vendo através disto. Você não tem que se esconder mais. Não sabia que é rude espiar pessoas pelas costas?”

 

Se você encontrou um erro de ortografia, ou quer oferecer uma sugestão, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.

Notas do Tradutor   [ + ]

1. Que vou chamar de Astrologia.

View Comments

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: